dezembro 2023

A Relatora da CIDH explica a situação vivida pelos povos indígenas. Compartilhamos uma crônica sobre o impacto do fogo na Bolívia e uma narrativa sobre as iniciativas da Costa Rica para promover os direitos dos afrodescendentes. Por fim, dialogamos com Yolanda Camacho sobre as mulheres negras no México.

A Relatora da CIDH explica a situação vivida pelos povos indígenas. Compartilhamos uma crônica sobre o impacto do fogo na Bolívia e uma narrativa sobre as iniciativas da Costa Rica para promover os direitos dos afrodescendentes. Por fim, dialogamos com Yolanda Camacho sobre as mulheres negras no México.

Veja os artigos
Esmeralda Arosemena de Troitiño: “É crucial utilizar as ferramentas disponíveis para assegurar que os Estados cumpram com seus compromissos internacionais”

Após oito anos na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), Esmeralda Arosemena de Troitiño se aposenta em 31 de dezembro de 2023. A advogada panamenha especializada em direitos humanos foi eleita em 2016, ocupou a presidência em 2019 e a vice-presidência entre 2022 e 2023. Ademais, é Relatora para Povos Indígenas, crianças e adolescentes, assim como Relatora para México, Guatemala, Nicarágua e Venezuela.

Debates Indígenas

novembro 2023

Veja os artigos
Geografias da cimarronagem nas Américas

A história das Américas foi moldada para sempre pela introdução massiva de africanos em condição de escravos, que foram trazidos em contrabando através das rotas comerciais do Atlântico. No entanto, estes barcos trouxeram mais do que 'simples corpos negros' reduzidos a mercadorias. Estes corpos levavam consigo uma rica herança ancestral e diversas epistemologias que, ao serem reinterpretadas no contexto da diáspora, permitiram aos negros estabelecerem comunidades e instituições baseadas em seus próprios princípios territoriais e em formas especificas de se relacionar com a natureza.

Davi Pereira Junior

outubro 2023

A mineração e o crime organizado avançam sobre os territórios indígenas do Brasil, México e Venezuela. A comunidade de Atopo W+P+ resiste à instalação de uma central elétrica na Guiana Francesa. Do outro lado da moeda, a Comissão para a Paz foi criada no Chile, e entrevistamos o antropólogo peruano Alberto Chirif.

A mineração e o crime organizado avançam sobre os territórios indígenas do Brasil, México e Venezuela. A comunidade de Atopo W+P+ resiste à instalação de uma central elétrica na Guiana Francesa. Do outro lado da moeda, a Comissão para a Paz foi criada no Chile, e entrevistamos o antropólogo peruano Alberto Chirif.

Veja os artigos

setembro 2023

A relação entre o conservacionismo e os povos indígenas tem sido complicada: o movimento ambiental demorou a compreender o papel dos indígenas na proteção da natureza. Isso se agrava com a venda de créditos de carbono e os deslocamentos.

A relação entre o conservacionismo e os povos indígenas tem sido complicada: o movimento ambiental demorou a compreender o papel dos indígenas na proteção da natureza. Isso se agrava com a venda de créditos de carbono e os deslocamentos.

Veja os artigos

agosto 2023

La minería aurífera se instala en los territorios indígenas de Filipinas e India, afectando la vida y el ambiente. En Bolivia, el Territorio Indígena Multiétnico (TIM) alcanzó su autonomía tras 10 años de lucha. Malas noticias desde Nicaragua: continúan los actos de violencia contra las comunidades.

La minería aurífera se instala en los territorios indígenas de Filipinas e India, afectando la vida y el ambiente. En Bolivia, el Territorio Indígena Multiétnico (TIM) alcanzó su autonomía tras 10 años de lucha. Malas noticias desde Nicaragua: continúan los actos de violencia contra las comunidades.

Veja os artigos

julho 2023

Enquanto as minas ilegais se multiplicam na Amazônia venezuelana, o Congresso peruano autoriza lotes de petróleo no mar e na selva. Na Colômbia, avança a participação indígena no governo. Da África do Sul, Annelise Kotze promove a repatriação de restos humanos para suas comunidades.

Enquanto as minas ilegais se multiplicam na Amazônia venezuelana, o Congresso peruano autoriza lotes de petróleo no mar e na selva. Na Colômbia, avança a participação indígena no governo. Da África do Sul, Annelise Kotze promove a repatriação de restos humanos para suas comunidades.

Veja os artigos